agora somos eu e o mundo

Material Sintético

Sou fruto dessa terra, nasci naquela sombra; essas fontes são colírio para minhas lentes bifocais; a coçeira que sinto é o orvalho da vida; esse pólen asfixiante é veludo para meus pulmões; se o quero-quero me quiser, me bicar, eu entendo; se eu bater naquela pedra enorme que o esquilo botou no meu caminho por maldade — por pura maldade — eu levanto;